18 de jun de 2019

Ler dá trabalho?


De vez em quando, me perguntam o que eu faço para ler tanto. Longe de me considerar um leitor voraz, sempre que possível, compartilho algumas dicas para ajudar os interessados a resgatarem ou fortalecerem o hábito da leitura que, muitas vezes, é sufocado por conta da corrida diária com trabalho, estudo e até mesmo com o entretenimento (e aqui entra o celular).

A título de curiosidade, eu defino uma meta de leitura anual e, em 2019, ela é de 28 livros. Desses, até o momento, eu li 10 e estou lendo, simultaneamente, outros 05. Acho que preciso correr um pouco para bater a meta (risos)!

Como ler mais?

Um jeito bacana é começar devagar, por exemplo, lendo um livro por mês, preferencialmente, de tamanho pequeno e leitura leve, até pegar algum ritmo. Assim, será mais fácil alcançar resultados visíveis e o efeito da meta alcançada injetará ânimo para arriscar leituras maiores e mais densas.

É importante sempre carregar um livro para onde for. Os 15 minutos diários que você lê no ônibus, na sala de espera ou em filas, já são suficientes para concluir, em poucas semanas, um livro pequeno de um pouco mais de 200 páginas. Deixe o livro que você está lendo sempre à vista, assim, quando surgir uma oportunidade, você lembrará de ler mais um pouco.

Compartilhe o seu progresso de leitura com pessoas do seu convívio, pois esse compromisso público também é motivador. Outra ideia é contar com alguém para leituras conjuntas.  Eu tenho um amigo de caminhada literária e, nesse momento, estamos lendo alguns clássicos (começamos com o livro Laranja Mecânica do Anthony Burgess). Fazemos a nossa leitura individual de uma parte do livro (eu aqui e ele do outro lado do país) e, depois, compartilhamos algumas impressões. Um viva para a facilidade proporcionada pela internet!

Existem diversos aplicativos e/ou sites que ajudam na empreitada. Eu uso o Skoob, uma rede social brasileira para leitores, onde é possível listar o que estou lendo, o que já li e o que pretendo ler, formando uma estante virtual. Ele conta com resenhas e avaliações feitas pelos usuários e um paginômetro que totaliza a soma das páginas dos livros marcados como lidos, além de uma média de páginas. É possível cadastrar metas de leituras e registrar históricos parciais de páginas lidas. Para quem é mais competitivo, ainda há um ranking de leitura entre os amigos. A rede possui também a funcionalidade “Plus”, através da qual é possível disponibilizar seus livros para troca (e foi assim que eu conheci o amigo com quem compartilho a leitura).

E as dicas não param por aí... Tenha um cantinho e um horário para ler. Tome uma bebida de preferência nesse momento (eu amo café e é minha bebida favorita para saborear enquanto leio). Tente evitar distrações, principalmente, com o celular. É preciso vencer a tentação de ficar conferindo as notificações a todo instante. Uma forma é usar a técnica Pomodoro, focando em um tempo de leitura, intercalando com pequenas pausas para outras atividades.

E deixo uma última dica que para mim funciona muito: Ler mais de um livro ao mesmo tempo. Isso mesmo! Parece loucura, mas não é. Dessa forma, naqueles dias mais pesados ou tristes, eu não tenho a desculpa para não ler uma obra dramática, por exemplo. Posso optar por algo mais leve e até melhorar o meu humor. É bom termos alternativas!

Tem alguma dica de como ler mais? Compartilhe conosco nos comentários! =)

E quais os benefícios?

A leitura proporciona muitos ganhos para quem desenvolve esse hábito. Ele apura os sentidos,  a subjetividade e a sensibilidade, expande a consciência e a criatividade, aprimora o vocabulário, a compreensão e interpretação de textos e também a escrita.

Eu trabalhei com treinamento em uma empresa e sempre que nos procuravam com demanda de cursos de redação e gramática, eu provocava o solicitante com a pergunta sobre o nível de leitura dele. Creio que, mesmo com capacitação, sem a leitura, a escrita fica pobre.

E ler e escrever bem pode ajudar a garantir uma vaga de trabalho. Uma recente pesquisa feita pela NUBE e noticiada pela ABRH Brasil mostrou que o português é o motivo da reprovação de 50% dos jovens em processos seletivos. 

Ainda, pessoas em contato com a ficção costumam ser mais empáticas e altruístas, pois vivenciam emoções através de personagens. Quem nunca se colocou no lugar do mocinho, do vilão ou mergulhou nas situações da história que está sendo lida? Até as nossas relações sociais são afetadas de forma positiva.

Ler dá trabalho? Eu digo que me dá prazer e me torna um ser humano melhor. Para outras pessoas, além disso, sim, dá trabalho. Algumas até ganham dinheiro com o universo literário!

Nenhum comentário: