20 de fev de 2010

Abba Pai

Abba Pai. Este nome singelo, entoado e gravado no coração de milhões de apaixonados, dos mais variados tipos. Ricos, pobres, velhos, moças e jovens. Emanuel. Majestoso da minha alma. Sem dúvidas seu amor resiste aos encantos do tempo e da vida, pois suas cores, inegavelmente se manterão sempre inalteradas. Em qualquer tempo. Se víssemos registros de antes da criação, poderíamos comparar com a glória de todas as coisas criadas por suas mãos hoje. A majestade de suas cores e detalhes, foi conservada, impecavelmente no decorrer dos anos. Foi criando sua história com a humanidade, marcada tão forte e profunda, que nunca se apagará.

Jesus, homem de dores e de glórias mil que sobrepõe, em muitos, todos os outros nomes. Família, amigos, trabalho, dinheiro inclusive. Basta que o sangue sagrado do que representa sua morte esteja sempre conosco que estaremos felizes. Seremos felizes. Basta apenas um olhar ao irmão do lado na rua. Olhar fanático como o nosso. Olhos que brilham em contato com a mais brilhante constelação de estrelas. Redundância esta que se faz necessária para expressar a magnitude, amplitude e alcance deste glorioso Deus.

Se antes, ao buscarmos conforto poderíamos não ter ninguém para nos guiar, após conhecermos a sua gloriosa mensagem de amor não tememos mais. Nunca estaremos sozinhos. Sempre teremos, em tempos turbulentos e de grandes safras, grandes dificuldades e vitórias épicas, o alento e olhar soberano da estrela Dalva. A primeira e única que apareceu em nossos corações.
Bem antes de nascer o pequeno infanto, ainda carente de amparo das leis divinas, recebe no seu pequenino corpo e mente ainda em formação o encargo de pertencer ao mais estonteante conglomerado do mundo. Moderno e antigo, ressalte-se. Recebe também o dever de trabalhar em prol dos seus ideais e de passar adiante a paixão, nunca deixando alguém próximo buscar caminhos que não o das glórias imortais do querido Deus.

Abba Pai, muito obrigado por ter me escolhido. Que eu possa te servir bem.

Texto bacaninha no blog Devaneios, do meu amigo Rafah.
Postar um comentário