12 de jul de 2009

(Re)conhecimento


Acordei hoje com um pensamento
que não sei de onde veio ou porque estava comigo quando levantei
talvez seja porque ao abrir os olhos
dei com o Céu mais perfeitamente azul
que uma sexta feira poderia me oferecer.

Pensei em como é possível que pessoas enxerguem Deus
no raio quente do Sol de toda manhã
ou no Céu azul rajado de rosas, dourados e vermelhos de um pôr-do-sol;
quem sabe ainda na fúria das ondas do mar
que (ao mesmo tempo) castigam as pedras da orla
e beijam sutis a areia branca da praia?

Como é possível enxergar a magnitude do Criador
nas manifestações mais sutis de sua obra sem perceber
o mesmo calor do Sol no sorriso de uma criança,
as mil nuances de cores que contém
o olhar de quem te escuta com tudo o pode oferecer no momento;
sem compreender o paradoxo que é
simplesmente ser HUMANO
amar e odiar
bater e beijar
acreditar desacreditando
e desacreditar reafirmando a crença?

Pensar em Deus
de tantos nomes
cores
e formas
assim como somos de diferentes nomes
cores
e formas
só reafirmou em mim
a minha incpacidade de reduzi-lo a um pensar.

Acordei
não só pra mais um dia
mas pra um novo ser
um novo estar
um novo querer...

Quero senti-Lo em cada abraço que receber
quero capturá-Lo em cada sorriso que vir
quero admirá-Lo em toda Sua grandeza
e agradecer cada segundo de Vida
que Ele me proporciona em Seu Infinito Amor.

Fonte: Blog I don't believe... I know - C.G. Jung, com dica do Rafael Valencio (Blog Rafaneios)
Postar um comentário